terça-feira, dezembro 25, 2007


terça-feira, novembro 20, 2007

Livre Escolha

Não é pelo fato de ser minha prima, mas eu sou fã nº 1 do que ela escreve.

Livre escolha
(do livro Às Portas da Noite)
©Dalva Agne Lynch

Não te quero em barras -
não se prende um ser
sem perder a essência.
Não te quero em posse -
não se possui o divino
sem perder o Infinito.
Eu te quero livre
na majestade da tua escolha
na beleza da tua dádiva
na grandeza do teu amor.
Que sejas então comigo
corpo a corpo
momento a momento
por livre e louca vontade.
Ou isso, meu amor
ou que não sejas mais.

sexta-feira, novembro 02, 2007

Crônica do Amor

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.
Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.
Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.


Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha.
Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo. Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga.
Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas.

Por que você ama este cara? Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor. É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucurapor computador e seu fettucine ao pesto é imbatível. Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo.

Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor? Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é!
Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer.
É a contingência maior de quem precisa.

Arnaldo Jabor

terça-feira, outubro 30, 2007

Xuxuzinho ; )


Xuxuzinho
Rita Lee - Roberto De Carvalho


Procuro um gato, nesse mundo cão
Um candidato à vaga do meu coração!
Não precisa ser rico, basta me amar
Mas se tiver alguns dólares, não vou chorar!
Papai do Céu, me dá um namorado
Lindo, fiel, gentil e tarado
Xuxu, xuxuzinho
Par de vaso
Minha uva, meu vinho

quinta-feira, outubro 25, 2007

segunda-feira, outubro 22, 2007

Ando Devagar

Tá ai uma música que apesar de fugir dos gêneros que eu gosto, sou apaixonada pela letra.
Além de me fazer elmbrar uma grande amiga, que eu pouco vejo mas está sempre no meu coração, traz a reflexão do dia-a-dia, dos encontros e desencontros, dos amores e lágrimas, e principalmente, da esperança do amanhã.


Ando Devagar
Almir Sarter e Daniel

Ando devagar porque já tive pressa,
E levo esse sorriso, porque já chorei de mais,
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe,
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei, ou
Nada sei, conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs.
È preciso amor pra puder pussar, é preciso paz
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir.



Penso que cumprir a vida, seja simplesmente
Compreender a marcha, ir tocando em frente,
Como um velho boiadeiro, levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada, eu vou,
Estrada eu sou, conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maças,
È preciso amor pra puder pussar, é preciso paz
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir.



Todo mundo ama um dia, todo mundo chora,
Um dia a gente chega, no outro vai embora,
Cada um de nos compõe a sua historia, cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz, e ser feliz,
conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maças,
È preciso amor pra puder pussar, é preciso paz
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir.



Ando devagar porque já tive pressa,
E levo esse sorriso, porque já chorei de mais,
Cada um de nos compõe a sua historia, cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz, e ser feliz

domingo, outubro 21, 2007




A velhice não é um fato estático; é o resultado e o prolongamento de um processo.


Em que consiste este processo?


Em outras palavras, o que é envelhecer?


Esta idéia se acha ligada à de transformação.


Mas a vida do embrião, do recém-nascido, da criança, constitui uma incessante transformação. Seremos levados a concluir, como fizeram alguns, que nossa existência é uma morte lenta?


É evidente que não.


Semelhante paradoxo desconhece a verdade essencial da vida: ela é um sistema instável no qual se perde e se reconquista o equilíbrio a cada instante; a inércia é que é o sinônimo de morte.


A lei da vida é mudar.




A Velhice 1970


Simone de Beauvoir


sexta-feira, outubro 19, 2007

A Coleção Verão 2007/2008 está a venda no Mercado Livre:
Aguardo a visita de vcs.


segunda-feira, outubro 15, 2007

O dia em que fiquei loira de olhos verdes ; - PPP

%1

de Cazuza à mentira dos ídolos

Dalva Agne Lynch
Estava assistindo ao filme "Cazuza", e me lembrei de todos os comentários que li a respeito - de como um drogado e devasso era homenageado de tal maneira, e que mau exemplo é isto para a nossa juventude, e...
E pensei num Fernando Pessoa, viciado em ópio; um John Lennon mergulhado em LSD; uma Janis Joplin morrendo do overdose. E Baudelaire, Yeats, Gaugin, Van Gogh, Rachmaninoff, e...
Parece que o preço da arte sempre foi, através dos milênios, a vida destroçada por drogas, álcool e loucura daqueles que lhe foram vasos.
Com o tempo, entretanto, as novas gerações esquecem a devassidão de um Mozart, a crueldade de um Gaugin, a amoralidade de um Wagner - e endeusam o frágil vaso de onde saiu a obra.
Mas o vaso foi, e sempre será, desprezível. Talvez a grandeza da obra tire do criador tudo o que ele tem, deixando apenas a casca.
Então a pintura, o texto, a partitura, a canção - se perpetua. E o autor, em todo o seu envilecimento, passa da sordidez da vida para a falsidade da glória.
Afinal de contas, nossos ídolos são, todos eles, mentiras. Do roqueiro Cazuza ao maestro Mozart.
O que fica de tudo, é a certeza de que a Arte é AMORAL, bem como ATEMPORAL. Ela transcende o mero vaso de onde saiu.
Ou talvez o criador tenha que se perder, para que a obra surja. Para que a glória da genialidade não reste sobre o gênio, mas sobre o Criador do criador.
De uma certa forma, a obra é a redenção do artista.
Dalva Agne Lynch

segunda-feira, outubro 08, 2007

Eu amoooooo essa música ; )

Ask
Shyness is nice, and
Shyness can stop you
From doing all the things in life
You'd like to
Shyness is nice, and
Shyness can stop you
From doing all the things in life
You'd like to
So, if there's something you'd like to try
If there's something you'd like to try
ASK ME - I WON'T SAY "NO" - HOW COULD I ?
Coyness is nice, and
Coyness can stop you
From saying all the things in
Life you'd like to
So, if there's something you'd like to try
If there's something you'd like to try
ASK ME - I WON'T SAY "NO" - HOW COULD I ?
Spending warm Summer days indoors
Writing frightening verse
To a buck-toothed girl in Luxembourg
ASK ME, ASK ME, ASK ME
ASK ME, ASK ME, ASK ME
Because if it's not Love
Then it's the Bomb, the Bomb, the Bomb
the Bomb, the Bomb, the Bomb, the Bomb
That will bring us together
Nature is a language - can't you read ?
Nature is a language - can't you read ?
SO ... ASK ME, ASK ME, ASK ME
ASK ME, ASK ME, ASK ME
Because if it's not Love
Then it's the Bomb, the Bomb, the Bomb
the Bomb, the Bomb, the Bomb, the Bomb
That will bring us together
If it's not Love
Then it's the Bomb
Then it's the Bomb
That will bring us together
SO ... ASK ME, ASK ME, ASK ME
ASK ME, ASK ME, ASK ME
Oh, la ...

The Smiths


Bilhete

Se tu me amas, ama-me baixinho

Não o grites de cima dos telhados

Deixa em paz os passarinhos

Deixa em paz a mim!

Se me queres,enfim,tem de ser bem devagarinho, Amada,

que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...


Mario Quintana


segunda-feira, outubro 01, 2007

Vida cotidiana

Acabei de ler a Folha de São Paulo e imediatamente me identifiquei com um texto escrito por Luciano Huck, que trata sobre a situação da cidade de São Paulo.

Vivemos hoje com medo, sim , MEDO de sair nas ruas devido a violência urbana.

Transcrevo aqui o texto, para uma profunda reflexão sobre a situação.



Pensamentos quase póstumos
Pago todos os impostos. E, como resultado, depois do cafezinho, em vez de balas de caramelo, quase recebo balas de chumbo na testa.
LUCIANO HUCK foi assassinado. Manchete do "Jornal Nacional" de ontem. E eu, algumas páginas à frente neste diário, provavelmente no caderno policial. E, quem sabe, uma homenagem póstuma no caderno de cultura. Não veria meu segundo filho. Deixaria órfã uma inocente criança. Uma jovem viúva. Uma família destroçada. Uma multidão bastante triste. Um governador envergonhado. Um presidente em silêncio. Por quê? Por causa de um relógio.
Como brasileiro, tenho até pena dos dois pobres coitados montados naquela moto com um par de capacetes velhos e um 38 bem carregado. Provavelmente não tiveram infância e educação, muito menos oportunidades. O que não justifica ficar tentando matar as pessoas em plena luz do dia. O lugar deles é na cadeia. Agora, como cidadão paulistano, fico revoltado. Juro que pago todos os meus impostos, uma fortuna. E, como resultado, depois do cafezinho, em vez de balas de caramelo, quase recebo balas de chumbo na testa.

Adoro São Paulo. É a minha cidade. Nasci aqui. As minhas raízes estão aqui. Defendo esta cidade. Mas a situação está ficando indefensável. Passei um dia na cidade nesta semana -moro no Rio por motivos profissionais- e três assaltos passaram por mim. Meu irmão, uma funcionária e eu. Foi-se um relógio que acabara de ganhar da minha esposa em comemoração ao meu aniversário. Todos nos Jardins, com assaltantes armados, de motos e revólveres. Onde está a polícia? Onde está a "Elite da Tropa"? Quem sabe até a "Tropa de Elite"! Chamem o comandante Nascimento!
Está na hora de discutirmos segurança pública de verdade. Tenho certeza de que esse tipo de assalto ao transeunte, ao motorista, não leva mais do que 30 dias para ser extinto. Dois ladrões a bordo de uma moto, com uma coleção de relógios e pertences alheios na mochila e um par de armas de fogo não se teletransportam da rua Renato Paes de Barros para o infinito. Passo o dia pensando em como deixar as pessoas mais felizes e como tentar fazer este país mais bacana. TV diverte e a ONG que presido tem um trabalho sério e eficiente em sua missão. Meu prazer passa pelo bem-estar coletivo, não tenho dúvidas disso. Confesso que já andei de carro blindado, mas aboli. Por filosofia. Concluí que não era isso que queria para a minha cidade. Não queria assumir que estávamos vivendo em Bogotá. Errei na mosca. Bogotá melhorou muito. E nós? Bem, nós estamos chafurdados na violência urbana e não vejo perspectiva de sairmos do atoleiro. Escrevo este texto não para colocar a revolta de alguém que perdeu o rolex, mas a indignação de alguém que de alguma forma dirigiu sua vida e sua energia para ajudar a construir um cenário mais maduro, mais profissional, mais equilibrado e justo e concluir -com um 38 na testa- que o país está em diversas frentes caminhando nessa direção, mas, de outro lado, continua mergulhado em problemas quase "infantis" para uma sociedade moderna e justa. De um lado, a pujança do Brasil. Mas, do outro, crianças sendo assassinadas a golpes de estilete na periferia, assaltos a mão armada sendo executados em série nos bairros ricos, corruptos notórios e comprovados mantendo-se no governo. Nem Bogotá é mais aqui. Onde estão os projetos? Onde estão as políticas públicas de segurança? Onde está a polícia? Quem compra as centenas de relógios roubados? Onde vende? Não acredito que a polícia não saiba. Finge não saber. Alguém consegue explicar um assassino condenado que passa final de semana em casa!? Qual é a lógica disso? Ou um par de "extraterrestres" fortemente armado desfilando pelos bairros nobres de São Paulo? Estou à procura de um salvador da pátria. Pensei que poderia ser o Mano Brown, mas, no "Roda Vida" da última segunda-feira, descobri que ele não é nem quer ser o tal. Pensei no comandante Nascimento, mas descobri que, na verdade, "Tropa de Elite" é uma obra de ficção e que aquele na tela é o Wagner Moura, o Olavo da novela. Pensei no presidente, mas não sei no que ele está pensando. Enfim, pensei, pensei, pensei. Enquanto isso, João Dória Jr. grita: "Cansei". O Lobão canta: "Peidei". Pensando, cansado ou peidando, hoje posso dizer que sou parte das estatísticas da violência em São Paulo. E, se você ainda não tem um assalto para chamar de seu, não se preocupe: a sua hora vai chegar. Desculpem o desabafo, mas, hoje amanheci um cidadão envergonhado de ser paulistano, um brasileiro humilhado por um calibre 38 e um homem que correu o risco de não ver os seus filhos crescerem por causa de um relógio.Isso não está certo.
LUCIANO HUCK, 36, apresentador de TV, comanda o programa "Caldeirão do Huck", na TV Globo. É diretor-presidente do Instituto Criar de TV, Cinema e Novas Mídias.

extraido de http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0110200708.htm

domingo, setembro 30, 2007

PAZ INTERIOR




A pomba da Paz - Pablo Picasso.
PAZ INTERIOR


Aconteça o que acontecer na sua vida, não perca a sua paz interior, ela é a força que você precisa para manter-se em equilíbrio mesmo durante as piores tempestades.


Nessa época de pessoas atormentadas por pesadelos, por frustrações e sonhos desfeitos, manter a paz é fundamental para não cair nas armadilhas da depressão.


A carga de informação que você recebe durante o seu dia, a pressão do trabalho, dos estudos e dos relacionamentos, acaba deixando seus nervos em pedacinhos.


Se você não estiver com o pensamento voltado para o seu bem estar, você não consegue manter o equilíbrio e ai, o seu fígado começa a sofrer as primeiras conseqüências, daí para as doenças do estômago como a gastrite, a úlcera e outros nomes não muito recomendáveis, é um passo.


É preciso que você coloque filtros em sua vida, e ao receber as notícias, sejam elas quais forem, analisar e rapidamente descartar o que não for realmente importante para sua caminhada.


Manter-se em paz é um exercício diário, porque muitos obstáculos estarão presentes no seu dia a dia, a começar pelo seu lar, onde sob o mesmo teto reúnem-se pessoas que não compartilham as mesmas idéias que você.No trabalho outros problemas nos aguardam.


Manter o emprego esta cada vez mais difícil, devido a enorme competição imposta pelas empresas entre os funcionários, tornando o clima às vezes “infernal e insuportável”.


Para complicar tem o seu relacionamento que anda às vezes tão complicado por coisas tão bobas, que você fica pensando, será que vale a pena?E quando você está a sós, fica imaginando que não nasceu para amar e ser amado, que os anjos te esqueceram e outras besteiras que a solidão causa.


Tudo isso e mais aqueles amigos que acreditam que você é poderoso e usam seu ombro como se fosse um grande muro das lamentações e deixam você mais carregado de energias nada boas.


Cuide-se enquanto é tempo.


Para que sua paz continue, use estas regrinhas básicas:

- Use o bom senso ao ler as notícias.

- Pare de ir no embalo dos alarmistas de plantão.

- Ao entrar no local de trabalho, faça uma prece em silêncio e cumprimente a todos com alegria.

- Respeite-se, se não estiver com vontade de falar com ninguém, retire-se e pare de fingir que está tudo bem.

- Peça ajuda. Para ajudar alguém precisamos estar muito bem. Se você não estiver bem, esqueça, você vai prejudicar a você e a quem pediu ajuda. A paz é uma conquista daqueles que se amam.

- Ame-se pelo amor de você mesmo! Ninguém tem o direito de invadir a sua paz e se o estão fazendo é porque você está permitindo.

- Reveja seus atos. Para manter a sua paz vale tudo: banhos relaxantes, orações, terapias, e muito amor. A paz é um exercício diário.

- Sorria mais, relaxe, busque um cantinho dentro de você para ser feliz. Você é responsável pelo seu bem estar. Estando feliz, o outro seguirá o seu exemplo.

- Acredite em você.

- Valorize-se. Você merece muito mais do que tem hoje, e vai conquistar se mantiver seu pensamento voltado para suas conquistas, sonhos e desejos.


Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito. Um se chama ontem e outro amanhã. Portanto, hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer, e principalmente viver.


Texto extraído da internet e atribuído ao Dalai Lama

terça-feira, setembro 25, 2007

Entender de Gente

Recebi deum amigo meu.
Muito legal.
Entender de Gente
'Max Gehringer'

Durante minha vida profissional, eu topei com algumas figuras cujo sucesso surpreende muita gente. Figuras sem um vistoso currículo acadêmico, sem um grande diferencial técnico, sem muito networking ou marketing pessoal.Figuras como o Raul. Eu conheço o Raul desde os tempos da faculdade. Na época, nós tínhamos um colega de classe, o Pena, que era um gênio. Na hora de fazer um trabalho em grupo, todos nós queríamos cair no grupo do Pena, porque o Pena fazia tudo sozinho. Ele escolhia o tema, pesquisava os livros, redigia muito bem e ainda desenhava a capa do trabalho - com tinta nanquim.Já o Raul nem dava palpite. Ficava ali num canto, dizendo que seu papel no grupo era um só, apoiar o Pena. Qualquer coisa que o Pena precisasse, o Raul já estava providenciando, antes que o Pena concluísse a frase. Deu no que deu. O Pena se formou em primeiro lugar na nossa turma. E o resto de nós passou meio na carona do Pena - que, além de nos dar uma colher de chá nos trabalhos, ainda permitia que a gente colasse dele nas provas. No dia da formatura, o diretor da escola chamou o Pena de 'paradigma do estudante que enobrece esta instituição de ensino'. E o Raul ali, na terceira fila, só aplaudindo.Dez anos depois, o Pena era a estrela da área de planejamento de uma multinacional. Brilhante como sempre, ele fazia admiráveis projeções estratégicas de cinco e dez anos. E quem era o chefe do Pena?O Raul. E como é que o Raul tinha conseguido chegar àquela posição? Ninguém na empresa sabia explicar direito.O Raul vivia repetindo que tinha subordinados melhores do que ele, e ninguém ali parecia discordar de tal afirmação. Além disso, o Raul continuava a fazer o que fazia na escola, ele apoiava. Alguém tinha um problema? Era só falar com o Raul que o Raul dava um jeito. Meu último contato com o Raul foi há um ano. Ele havia sido transferido para Miami, onde fica a sede da empresa. Quando conversou comigo, o Raul disse que havia ficado surpreso com o convite. Porque, ali na matriz, o mais 'burrinho' já tinha sido astronauta. E eu perguntei ao Raul qual era a função dele. Pergunta inócua, porque eu já sabia a resposta.O Raul apoiava. Direcionava daqui, facilitava dali, essas coisas que, na teoria, ninguém precisaria mandar um brasileiro até Miami para fazer. Foi quando, num evento em São Paulo, eu conheci o vice-presidente de recursos humanos da empresa do Raul. E ele me contou que o Raul tinha uma habilidade de valor inestimável:... ele entendia de gente. Entendia tanto que não se preocupava em ficar à sombra dos próprios subordinados para fazer com que eles se sentissem melhor, e fossem mais produtivos. E, para me explicar o Raul, o vice-presidente citou Samuel Butler, que eu não sei ao certo quem foi, mas que tem uma frase ótima: 'Qualquer tolo pode pintar um quadro, mas só um gênio consegue vendê-lo'. Essa era a habilidade aparentemente simples que o Raul tinha, de facilitar as relações entre as pessoas. Perto do Raul, todo comprador normal se sentia um expert, e todo pintor comum, um gênio.É praticamente uma lei na vida que quando uma porta se fecha para nós, outra se abre. A dificuldade está em que, freqüentemente, ficamos olhando com tanto pesar a porta fechada, que não vemos aquela que se abriu. (Andrew Carnegie)

terça-feira, setembro 18, 2007

Eu Aprendi

Eu aprendi......que ter uma criança adormecida nos braçosé um dos momentos mais pacíficos do mundo;

Eu aprendi......que ser gentil é mais importante do que estar certo;

Eu aprendi......que nunca se deve negar um presente a uma criança;

Eu aprendi......que eu sempre posso fazer uma prece por alguémquando não tenho a força para ajudá-lo de alguma outra forma;

Eu aprendi......que não importa quanta seriedade a vida exija de você,cada um de nós precisa de um amigo brincalhão para se divertir junto;

Eu aprendi......que algumas vezes tudo o que precisamos é de uma mão parasegurar e um coração para nos entender;

Eu aprendi......que os passeios simples com meu pai em volta do quarteirãonas noites de verão quando eu era criança fizeram maravilhaspara mim quando me tornei adulto;

Eu aprendi......que deveríamos ser gratos a Deus por não nos dar tudo que lhe pedimos;Eu aprendi......que dinheiro não compra "classe";

Eu aprendi......que são os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espetacular;Eu aprendi......que debaixo da "casca grossa" existe uma pessoaque deseja ser apreciada, compreendida e amada;

Eu aprendi......que Deus não fez tudo num só dia; o que me faz pensar que eu possa?Eu aprendi......que ignorar os fatos não os altera;

Eu aprendi......que quando você planeja se nivelar com alguém,apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;

Eu aprendi......que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;

Eu aprendi......que a maneira mais fácil para eu crescer como pessoaé me cercar de gente mais inteligente do que eu;

Eu aprendi......que cada pessoa que a gente conhece deve ser saudada com um sorriso;

...que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;

Eu aprendi......que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;

Eu aprendi......que as oportunidades nunca são perdidas;alguém vai aproveitar as que você perdeu.

Eu aprendi......que quando o ancoradouro se torna amargoa felicidade vai aportar em outro lugar;

Eu aprendi......que devemos sempre ter palavras doces e gentispois amanhã talvez tenhamos que engoli-las;

Eu aprendi......que um sorriso é a maneira mais barata de melhorar sua aparência;

Eu aprendi......que não posso escolher como me sinto,mas posso escolher o que fazer a respeito;

Eu aprendi......que todos querem viver no topo da montanha,mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você esta escalando-a;

Eu aprendi......que só se deve dar conselho em duas ocasiões:quando é pedido ou quando é caso de vida ou morte;

Eu aprendi......que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.

William Shaskespeare

domingo, agosto 19, 2007

quarta-feira, julho 25, 2007



The Sisters of Mercy - Cry Little Sister
The last fire will rise
Behind those eyes
Black house will rock
Blind boys dont lie
Immortal fear
That voice so clear
Through broken walls
That scream I hear
Cry little sister (thou shall not fall)
Come come to your brother (thou shall not die)
Unchain me sister (thou shall not fear)
Love is with your brother (thou shall not kill)
Blue mascarade
Strangers look up
When will they learn this lonliness?
Temptation heat
Beats like a drum
Deep in your veins
I will not lie little sister (thou shall not fall)
Come come to your brother (thou shall not die)
Unchain me sister (thou shall not fear)
Love is with your brother (thou shall not kill)
My shangrila
I cant forget
Why you were mine
I need you now

terça-feira, julho 17, 2007

Existem algumas coisas interessantes na internet, acabei encontrando uma prima que eu não conheço pessoalmente. Achei dez, e encontrei uma montagem de fotografias no album dela, que resolvi postar aqui.




Eis uma montagem para reflexão.

segunda-feira, julho 02, 2007

Cansei de esperar tudo acontecer ; - )

Vou aproveitar a inspiração e produzir!

Montagem de fotos do tipo várias faces e estágios, mais uma música que eu adorooo.



Semana Que Vem

Pitty
Amanhã eu vou revelar
depois eu penso em aprender
daqui a uns dias eu vou dizer
o que me faz querer gritar
No mês que vem tudo vai melhorar
só mais alguns anos e o mundo vai mudar
ainda temos tempo até tudo explodir
quem sabe quanto vai durar


A partir de amanhã eu vou discutir
da próxima vez eu vou questionar
na segunda eu começo a agir
só mais duas horas pra eu decidir

Esse pode ser o último dia de nossas vidas
última chance de fazer tudo ter valido a pena
diga sempre tudo que precisa dizer
arrisque mais, pra não se arrepender
nós não temos todo o tempo do mundo
e esse mundo já faz muito tempo

o futuro é o presente e o presente já passou
Nada pra depois, não deixe o tempo passar
não deixe nada pra semana que vem
porque semana que vem pode nem chegar
pra depois, o tempo passar
não deixe nada pra semana que vem
porque semana que vem pode nem chegar

domingo, junho 24, 2007

NOVIDADES

Olá todos,
acabamos de colocar todasas peças customizadas no
http://www.flickr.com/photos/glorinhamonteiro/
Visitem!!
Se gostarem de alguma peça, entrem em contato.



sábado, junho 09, 2007

Orgulho de ser o que é


Na época da comemoração do Orgulho GLBT, vale sempre refletir a respeito do mundo em que vivemos e de como encaramos todo nosso universo.


De nada adianta vestir a máscara de sou aberto e moderno se, lá no fundo, vc carrega dentro de si um preconceito horroroso.


Essa época vale a reflexão de nosso instinto, que na realidade não tem orientação sexual, que é uma força primal da natureza. Ou seja, ele não distingue o que o atrai, e sim sente a atração. A escolha entre seguir em frente ou não, é racional, que muitas vezes difere do que nosso instinto quer.


Encontrei um texto na folha de são paulo desse final de semana fantástico, e postei aqui.

Boa leitura a todos.



Orgulho de ser o que é


Minha mãe não sabe, se soubesse ia chorar muito. Meu pai? Me mataria muito! Quer dizer, me mataria, porque matar é matar, muito ou pouco, não importa. Meu irmão desconfia, porque já tentou duas vezes dar em cima de amigas minhas e se deu mal, elas não estavam nem aí com ele. Já comigo...


Fui sempre assim, e tem gente que ainda fala que é uma "opção". Opção a gente opta, e eu nunca optei por gostar de mulher. Apenas gosto. E não gosto só de sacanagem, não, é gostar do carinho, do afeto, entende?, da alegria que elas têm e que eu tenho, da vontade de ficar juntas, da amizade e da solidariedade, do bom caráter, porque mau caráter pode ser gay, lésbica ou macho pacas que eu quero distância...


Meu pai e minha mãe, que são "normais", estão juntos há 40 anos e são absolutamente infelizes, de que adianta essa normalidade e esse estar certo hipócrita?


Se é assim, eu estou errada mesmo e pronto, dane-se.


Agora é mais fácil, as coisas evoluíram e embora ainda tenha muita gente ignorante que faz questão de não entender, de achar que é pura promiscuidade e malandragem, muitas outras pessoas entendem ou pelo menos nos aceitam. A mim têm que aceitar mesmo, porque eu sou independente, bem sucedida profissionalmente e, modéstia à parte, muito bonita --você não acha?


Não sou masculinizada, ao contrário me considero bem feminina, mas tenho amigas tipo "caminhoneira" que no fundo são uns doces, assim como há muito homem bruto pra fora e extremamente sensível por dentro. Mas essas amigas tipo "mulher macho" também não são assim porque querem, são porque são, oras. Exageros? Claro que tem exagero. Quanto tempo essas moças foram reprimidas, hostilizadas, segregadas? No fundo tentam compensar anos e anos de preconceito. Mas o que você tem a dizer sobre esses caras tipo pitboys, bombados e tatuados? E as peruas botocadas e vestidas com grife dos pés à cabeça e que dão em cima de garotões nos bares da vida? Não são exageradas também?


Meu caro, a vida é curta, curta a vida, viva e deixe viver, como se dizia na Bahia anos atrás. Vai amanhã lá na Parada Gay pra ver que lindo. Serão milhares de pessoas exibindo sua alegria de viver --e otras cositas más, mas e daí, os heteros não exibem quase tudo no Carnaval e na praia e ninguém não está nem aí?


Ficar chocado não vai ajudar a entender.


Aliás, não há muito o que entender, porque o processo de entendimento está em pleno processo, sacou?


E o mais importante agora é a consciência de a gente ser o que é e, ao invés de vergonha, ter orgulho de ser. Tenho orgulho de ser uma homossexual feminina e acho sinceramente que se os homens heteros tivessem orgulho de serem assim e as mulheres também, esse mundo seria muito, muito melhor.


(Depoimento de uma amiga linda e absolutamente resolvida, que veio a São Paulo para, com muito orgulho, participar da Parada Gay)


Texto de:
Luiz Caversan, 50, é jornalista. Foi repórter especial, diretor da Sucursal do Rio da Folha e editor do caderno TV Folha. Escreve crônicas sobre cultura, política e comportamento aos sábados para a Folha Online.




domingo, junho 03, 2007

Piratas do Caribe


Meninas...delirem!!!!!!!! Jack Sparrow - Johnny Depp


terça-feira, maio 29, 2007


"..... Seu ato pertencia só a ela. "Fui eu quem quis." Era a sua vontade que, nesse momento, estava realizando. Nada mais a separava de si mesma. Finalmente escolhera. Escolhera a si mesma."
Beauvoir, Simone. A Convidada; tradução de Vítor Ramos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

domingo, maio 20, 2007




Legião Urbana - Meninos E Meninas


Renato Russo, Dado Villa-lobos/renato Russo, Marcelo Bonfá



Quero me encontrar, mas não sei onde estou
Vem comigo procurar algum lugar mais calmo
Longe dessa confusão e dessa gente que não se
respeita
Tenho quase certeza que eu não sou daqui
Acho que gosto de São Paulo
Gosto de São João
Gosto de São Francisco e São Sebastião
E eu gosto de meninos e meninas
Vai ver que é assim mesmo e vai ser assim pra sempre
Vai ficando complicado e ao mesmo tempo diferente
Estou cansado de bater e ninguém abrir
Você me deixou sentindo tanto frio
Não sei mais o que dizer
Te fiz comida, velei teu sono
Fui teu amigo, te levei comigo
E me diz: pra mim o que é que ficou?
Me deixa ver como viver é bom
Não é a vida como está, e sim as coisas como são
Você não quis tentar me ajudar
Então, a culpa é de quem? A culpa é de quem?
Eu canto em português errado
Acho que o imperfeito não participa do passado
Troco as pessoas
Troco os pronomes
Preciso de oxigênio, preciso ter amigos
Preciso ter dinheiro, preciso de carinho
Acho que te amava, agora acho que te odeio
São tudo pequenas coisas e tudo deve passar
Acho que gosto de São Paulo
E gosto de São João
Gosto de São Francisco e São Sebastião
E eu gosto de meninos e meninas

domingo, maio 06, 2007

terça-feira, maio 01, 2007


NA PRIMEIRA NOITE,

ELES SE APROXIMAM

E COLHEM UMA FLOR DE NOSSO JARDIM

E NÃO DIZEMOS NADA.

NA SEGUNDA NOITE,

JÁ NÃO SE ESCONDEM:

PISAM AS FLORES, MATAM NOSSO CÃO,

E NÃO DIZEMOS NADA,

ATÉ O DIA EM QUE,

O MAIS FRÁGIL DELES ENTRA SOZINHO EM NOSSA CASA,

ROUBA-NOS A LUA, E,

CONHECENDO O NOSSO MEDO,

ARRANCA-NOS A VOZ DA GARGANTA.

E, PORQUE NÃO DISSEMOS NADA,

JÁ NÃO PODEMOS DIZER MAIS NADA.


WLADIMIR MAIAKOWSKI



"Há gente que, em vez de destruir, constrói; em lugar de invejar, presenteia; em vez de envenenar, embeleza; em lugar de dilacerar, reúne e agrega." Lya Luft

segunda-feira, abril 23, 2007

Adicionar imagem



"Querer-se livre é também querer livres os outros."
Simone de Beauvoir

quarta-feira, abril 11, 2007

Meu bebê amado


Tem bebês que entram em nossas vidas quando são pequeninos e vão tomando conta do nosso coração dia-a-dia.
Tem outros, que aparecem grandes, como se saltassem de uma caixa e iluminassem tudo ao seu redor.
Quem tem um bebê desses só pode ser muito feliz!
Esse é o meu bebê Dani ; )
A Dani é uma das pessoas mais especiais que conheci, ganhou um espaço imenso na minha vida e no meu coração.
Eu já disse uma vez e digo novamente, se eu pudesse ter a oportunidade de descrever um filho, com certeza seria igual a Dani, inteligente, meiga, leal, amiga, etc, etc.

Tem coisa melhor que acordar com seu filhote pulando na cama? Não tem não.

Dani - amo vc viu bebÊ?

quinta-feira, abril 05, 2007


domingo, abril 01, 2007

Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes. Da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá que se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo. Se quiser um casamento gratificante, terá que investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo, pois ao contrário, acabará perdendo seu grande amor. O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem. Mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados. Não se compare à maioria, pois infelizmente ela não é modelo de sucesso. Se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas. Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina. A realização de um sonho depende de dedicação. Há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica. Mas toda mágica é ilusão. A ilusão não tira ninguém de onde está. Ilusão é combustível de perdedores. "Quem quer fazer alguma coisa, encontra um "MEIO""Quem não quer fazer nada, encontra uma "DESCULPA"

Roberto Shinyashiki

sábado, março 03, 2007

FFLTKS


Eu queria congelar o tempo
Paralisar o instante mais belo
Eternizar o sentimento que paira no ar
E manter acesso sempre em mim
O que me inunda de felicidade

Por que buscar no lugar improvável
O que está sempre ao lado?
Não importa se no direito
Ou no esquerdo
Mas está ali ...

É fácil escrever sobre a dor
Sobre a perda e a saudade
Agora como é difícil
Transmitir em palavras o belo
O que anima e aninha

Não sei o que acontecerá
Não sei como ficará
Não sei o que mudará
Não sei o que sentiremos
Um dia, num futuro.

Quero que o hoje seja eterno,
Pelo menos nesse instante
Dentro de mim.

São Paulo, 02 de março de 2007.
Mais um de minha autoria.
mudei o foco ; )

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Produtos da Mama

Estou super orgulhosa da minha Mama.
Ela resolveu apresentar seus artesanatos e a sua moda customizada.
Abriu uma empresa de customização e está comercializando suas peças através do blog http://glorinhamonteiro.blogspot.com/.
Seus lindos artesanatos de cama, mesa e banho também estão a venda no Mercado Livre, no link: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_5763580
Visitem, tenho certeza que vcs vão se apaixonar pelas belíssimas peças que estão expostas.

domingo, fevereiro 04, 2007






Por que amamos cães

Nós amamos os cães porque só os animais tão próximos de nós como os cães parecem enxergar a bondade que se esconde em todo ser humano. Qualquer pessoa tem seu lado bom, seja a nossa vizinha mal-encarada que não dá bom-dia pra ninguém, mas que, a gente sabe, trata seu próprio cão a pão-de-ló; seja um homem capaz de matar outro homem, mas incapaz de maltratar seu cão de estimação.

Um cão tem a capacidade de amar o que somos, amar nossa alma. Você pode ser um anão, um deficiente, um hexacampeão de Fórmula 1 (aliás, o Schumacher adotou um vira-lata brasileiro, que encontrou vagando pelo autódromo de Interlagos); se você tiver um cão, pode estar certo: ele amará você. Para um cão, não importa se você é uma freira, uma prostituta, o presidente do país ou um mendigo. Ele também não está interessado na sua profissão, na sua cor, nas suas preferências sexuais, se você é carteiro, bombeiro, médico, lixeiro, entregador de pizza, empresário.

Amamos um cão porque somos amados por ele. Amamos um cão porque muitas vezes conseguimos nos comunicar melhor com eles do que com os humanos que estão ao nosso lado. Amamos um cão porque eles são inocentemente egoístas. Nos querem só para si, e não escondem seus desejos. O ossinho é só dele, o brinquedo é só dele, a casinha é só dele. E pronto. Simples assim. Tudo é simples em um cão. Até seus defeitos são tão escancarados, são tão descaradamente sinceros, que fica muito difícil não acharmos virtudes neles.



Kátia Regina Aiello (Adestradora e Psicóloga Comportamental)

http://www.petfeliz.com.br/curiosidades/amamos_caes.html

terça-feira, janeiro 30, 2007

Os Filhos
(Do Livro "O Profeta")

Uma mulher que carregava o filho nos braços disse: "Fala-nos dos filhos."
E ele falou:

Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como ele ama a flecha que voa,
Ama também o arco que permanece estável.








Texto: Os Filhos(Do Livro "O Profeta") Gibran Kahlil Gibran
Fotografia: Anne Geddes www.annegeddes.com




segunda-feira, janeiro 29, 2007



U2 - Where The Streets Have No Name U2
Where The Streets Have No Name
I wanna run, I want to hide
I wanna tear down the walls
That hold me inside.
I wanna reach out
And touch the flame
Where the streets have no name.
I wanna feel sunlight on my face.
I see the dust-cloud
Disappear without a trace.
I wanna take shelter
From the poison rain
Where the streets have no name
Where the streets have no name
Where the streets have no name.
We're still building and burning down love
Burning down love.
And when I go there
I go there with you
(It's all I can do).

(It's all I can do).The city's a flood, and our love turns to rust.
We're beaten and blown by the wind
Trampled in dust.
I'll show you a place
High on a desert plain
Where the streets have no name
Where the streets have no name
Where the streets have no name.
We're still building and burning down love
Burning down love.
And when I go there
I go there with you
(It's all I can do).